NotíciasNotícias

 
David Machado Escrita em Dia


A partir de janeiro, os nossos escritores preferidos estarão à conversa com os leitores numa das muitas bibliotecas da cidade.

Para o  primeiro trimestre, os nossos convidados são Nuno Camarneiro, Patrícia Reis e Bruno Vieira Amaral.


PROGRAMA

13 janeiro às 16h
Nuno Camarneiro > Biblioteca Orlando Ribeiro

Nuno Camarneiro nasceu na Figueira da Foz em 1977. Licenciou-se em Engenharia Física na Universidade de Coimbra, trabalhou no CERN (Organização Europeia para a Investigação Nuclear) e doutorou-se em Ciência Aplicada ao Património Cultural na Universidade de Florença. Atualmente, desenvolve a sua investigação na Universidade de Aveiro e é docente no Departamento de Ciências da Educação e do Património da Universidade Portucalense.
Em 2011 publicou o seu primeiro romance, No Meu Peito não Cabem Pássaros, saudado pela crítica, publicado também no Brasil e em França. Foi o primeiro autor escolhido pela Biblioteca Municipal de Oeiras, parceira portuguesa da iniciativa, para participar no Festival do Primeiro Romance de Chambéry, em França. Publicou um texto na prestigiada Nouvelle Revue Française na rubrica Un mot d’ailleurs e tem diversos contos em revistas nacionais e estrangeiras. Em 2012, venceu o Prémio LeYa com o romance Debaixo de Algum Céu, já traduzido em italiano e brevemente em francês. Em 2015, publicou Se Eu Fosse Chão, um livro de contos, e Não Acordem os Pardais, ilustrado por Rosário Pinheiro e a sua primeira incursão pela literatura infantojuvenil.

10 fevereiro às 16h
Patrícia Reis > Biblioteca de São Lázaro

Patrícia Reis nasceu em 1970 e estudou História e História de Arte e Comunicação Empresarial. O seu trajeto no jornalismo iniciou-se em 1988 no semanário O Independente. Esteve depois na revista Sábado e realizou um estágio na revista norte-americana Time, em Nova Iorque. Foi jornalista do semanário Expresso, fez a produção do programa de televisão Sexualidades, trabalhou na revista Marie Claire, na Elle e nos projetos especiais do diário Público. Publicou a novela Cruz das Almas(2004) e os romances Amor em Segunda Mão (2006) e Morder-te o Coração (2007), que integrou a lista de 50 livros finalistas do Prémio Portugal Telecom de Literatura, No Silêncio de Deus (2008) e a novela Antes de Ser Feliz (2009).
É ainda autora da biografia de Vasco Santana (2004) e do romance fotográfico Beija-me (2006, em coautoria com João Vilhena). Editora da revista Egoísta, é sócia do ateliê de design e texto 004, participando em projetos de natureza muito variada, nomeadamente na conceção de conteúdos para livros institucionais. É ainda autora da coleção infantojuvenil «O Diário do Micas» e de dois livros infantis, todos com o selo do Plano Nacional de Leitura. A Por Este Mundo Acima (2011) seguiu-se Contracorpo (2013), e Simone: Força de viver, biografia de Simone de Oliveira. Em 2016, publicou A Gramática do Medo, escrito a quatro mãos com Maria Manuel Viana. A Construção do Vazio (2017) é o seu mais recente romance.
Os direitos dos seus livros já foram vendidos para: Brasil.


10 março às 16h
Bruno Vieira Amaral > Biblioteca Camões

Bruno Vieira Amaral nasceu em 1978 e licenciou-se em História Moderna e Contemporânea pelo ISCTE. Em 2002, uma temerária incursão pela poesia valeu-lhe ser selecionado para a Mostra Nacional de Jovens Criadores. Colaborou no DN Jovem, revista Atlântico e jornal i. É crítico literário, tradutor e autor do Guia Para 50 Personagens da Ficção Portuguesa e do blogue Circo da Lama. É editor-adjunto da revista LER.
Com o seu primeiro romance, As Primeiras Coisas, Bruno Vieira Amaral conseguiu a rara proeza de arrecadar quatro importantes prémios da literatura portuguesa: Livro do Ano 2013 da revista TimeOut, o Prémio Fernando Namora 2013, o Prémio PEN Narrativa 2013 e, em 2015, o Prémio José Saramago. Em 2016, foi eleito uma das Ten New Voices from Europe, escolhidas pelos jurados da plataforma Literature Across Frontiers.
Em 2017, a Quetzal publicou o seu segundo romance, Hoje Estarás Comigo no Paraíso, que recebeu, em novembro, o prémio «Obras Tabula Rasa 2016-2017» na categoria de ficção.
Os direitos dos seus livros já foram vendidos para: Brasil, Israel, Macedónia e Sérvia.



14 abril às 16h
João Tordo > Biblioteca Palácio Galveias

João Tordo nasceu em Lisboa em 1975. Licenciou-se em Filosofia e estudou Jornalismo e Escrita Criativa em Londres e Nova Iorque.
Em 2001, venceu o Prémio Jovens Criadores na categoria de Literatura. Publicou os romances O Livro dos Homens sem Luz (2004); Hotel Memória (2007); As Três Vidas(2008), que recebeu o Prémio Literário José Saramago e cuja edição brasileira foi, em 2011, finalista do Prémio Portugal Telecom; O Bom Inverno (2010), finalista do prémio Melhor Livro de Ficção Narrativa da Sociedade Portuguesa de Autores e do Prémio Literário Fernando Namora e cuja tradução francesa foi selecionada para a 6.ª edição do Prémio Literário Europeu; Anatomia dos Mártires (2011), finalista do Prémio Literário Fernando Namora; O Ano Sabático (2013); Biografia Involuntária dos Amantes (2014), finalista do Prémio Fernando Namora e do Prémio Melhor Livro de Ficção Narrativa da Sociedade Portuguesa de Autores.
Os seus romances mais recentes são O Luto de Elias Gro (2015), O Paraíso segundo Lars D. (2015) e O Deslumbre de Cecilia Fluss (2017), que no seu conjunto, compõem a Trilogia dos Lugares Sem Nome.

Os seus livros estão publicados em Alemanha, Brasil, Croácia, França, Hungria, Itália, Sérvia. Trabalha como cronista, tradutor, guionista e formador em oficinas de ficção.

5 maio às 16h
David Machado > Biblioteca da Penha de França

David Machado nasceu em Lisboa em 1978.
É autor de romances mas também de livros para crianças.
Em 2005, o seu conto infantil A Noite dos Animais Inventados recebeu o Prémio Branquinho da Fonseca, da Fundação Calouste Gulbenkian e do jornal Expresso, e desde então publicou entre outras obras, O Tubarão na Banheira, distinguido com o Prémio Autor SPA/RTP 2010 de Melhor Livro Infanto-Juvenil.
Tem livros publicados em Itália e Marrocos e contos presentes em antologias e revistas literárias em Itália, Alemanha, Noruega, Reino Unido, Islândia e Marrocos.
Em 2007, foi escolhido para representar Portugal no projecto Scritture Giovani do Festivaletteratura de Itália.

Venceu, em 2015, o Prémio da União Europeia para a Literatura com a obra Índice Médio de Felicidade, romance sobre os efeitos da crise que se abateu sobre Portugal e a Europa, livro este que foi, posteriormente, adaptado para o cinema pelas mãos de Joaquim Leitão. Neste mesmo ano escreveu o livro infantil que Paulo Galindro ilustrou, Do Céu Caiu uma Estrela.

Em 2017, publicou o livro infantil Os Livros do Rei e o romance Debaixo da pele.


Entrada livre.

[2018-01-13]
 

retroceder imprimir página guardar página enviar endereço