Skip to content Skip to footer

Mia Couto: o regresso aos contos de um ‘imperfecionista’

Mia Couto estreou-se literariamente em Portugal em 1987 com a edição de Vozes Anoitecidas, uma coletânea de contos. E é a esse formato que regressa no novo livro, O Caçador de Elefantes Invisíveis. Na sessão de apresentação – na quinta-feira, 4, na Biblioteca Palácio Galveias, em Lisboa -, o seu editor de sempre em Portugal, Zeferino Coelho (Caminho/Leya) sublinhou que “Mia é um grande contista, havendo quem diga que é mesmo, sobretudo, ‘contista’, porque em muitos dos seus romances cada personagem podia desdobrar-se em contos autónomos.”

Artigo da Visão disponível aqui.