Skip to content Skip to footer

Quem Somos

São as pessoas que fazem as nossas bibliotecas. São as pessoas que nos fazem acreditar no nosso presente e no nosso futuro, sem nunca perdermos de vista as ricas memórias do passado.

Há muito que andamos a repensar o papel das bibliotecas na nossa sociedade e, atualmente, o nosso foco é no papel que estas deverão desempenhar no pós pandemia. Sabemos que devem tornar-se centros de democracia, fortalecendo e promovendo o envolvimento de toda a comunidade, sabemos também que devem continuar a investir na Aprendizagem ao Longo da Vida e contribuir com atividades e serviços – presenciais e on-line – alinhados com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030.

As pessoas precisam de bibliotecas, genuinamente abertas e acolhedoras, e precisam também de sentir que fazem parte da sua comunidade. Acreditamos que o papel das bibliotecas, em sociedades democráticas, é fomentar a discussão e a participação ativa de todas as pessoas, promovendo o respeito mútuo de valores, sentimentos e opiniões. Para tal, precisamos de começar a ouvir as pessoas, inclui-las nos processos de tomada de decisão e isto pode ser facilmente conseguido através de World Cafés ou Focus Group, garantindo-se assim o envolvimento de toda a comunidade. Com este envolvimento da comunidade, as pessoas sentem-se confortáveis para perceber e defender o papel das bibliotecas na sociedade

As bibliotecas são espaços neutros e amigáveis, nas quais a regra é não julgar. São espaços onde as pessoas se sentem seguras e disponíveis para serem chamadas a envolver-se, para sentirem a sua curiosidade estimulada, para dar liberdade à sua vontade de saber mais, para ganhar novas perspetivas e desenvolver o seu espírito critico. Nas nossas bibliotecas existe espaço para quem queira estrear-se num palco, num concerto ou realizar a sua primeira exposição. As nossas bibliotecas dão palco aos jovens que queiram apresentar os seus produtos tecnológicos, como videojogos ou produções para o YouTube. Existe lugar para quem queira desenvolver as suas competências de literacia para conquistar o sucesso e aumentar a sua autoconfiança

Queremos, também, que as bibliotecas sejam uma lufada de ar puro, um lugar de informação segura numa era em que a informação nos bombardeia a todo o momento e onde  existe tanta proliferação de desinformação e até noticias verdadeiramente falsas. Por esta razão, oferecemos acesso à plataforma PressReader a todas as pessoas com cartão da Rede BLX. Mais de 7.000 títulos de jornais e revistas em português, ingles, francês, espanhol,…, acessíveis a toda a gente. Manter as pessoas informadas é uma das nossas preocupações e por isso queremos garantir uma vasta oferta de fontes de informação. Para além disso, tem ainda a oportunidade de ler na sua língua nativa, o que potencia o sentimento de pertença.

As nossas bibliotecas têm um forte impacto na vida das pessoas. Mas isso só se consegue com equipas dedicadas e multidisciplinares que, mantendo sempre presente o espírito de serviço publico, proporcionam múltiplas experiências a quem nos visita, nunca hesitando em ir ainda mais longe. A dedicação das nossas equipas ficou claramente demonstrada durante a pandemia, quando as pessoas reclamaram contra o encerramento das bibliotecas, porque sentiam, de facto, a sua falta. Sentiam a sua falta para apoio no estudo, nas suas pesquisas, mas muitas vezes, particularmente entre as pessoas mais idosas, apenas para terem um ouvido amigo disponível para escutar a história das suas vidas, as memórias da sua terra. Este simples gesto mitiga a sua solidão, mantém o seu espírito desperto e fortalece relações. Em alguns bairros, a biblioteca é o único lugar realmente seguro, confiável, credível e acolhedor, o único lugar onde ninguém fica de fora, onde toda a gente pode assumir e expressar os seus interesses, as suas necessidades, os seus sonhos. E, muitas vezes, a biblioteca pode ser simplesmente a garantia de um tecto, onde repousar em silêncio, mesmo se após a hora de fechar se tenha de voltar à dura realidade. Tudo isto apenas é possível porque as nossas equipas são fiéis à sua missão. As pessoas fazem as bibliotecas, e toda a gente está envolvida no seu funcionamento: quem nos visita, quem nos apoia e quem cá trabalha.

Susana Silvestre, Chefe de Divisão da Rede de Bibliotecas